Arquivo de novembro \26\UTC 2009

“Música no MuBE” deste domingo receberá o pianista Arthur Marden


Com uma programação bem variada, que vai de Beethoven a Villa-Lobos, o MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – realizará mais um recital neste domingo, 29 de novembro, e contará com o breve retorno do pianista Arthur Marden ao Auditório Pedro Piva.
 
A apresentação acontece às 16 horas e é coordenada por Dulce Cupolo. Confira abaixo o programa completo.     
 
Programa:

Bach – Sinfonia XV / Prelúdio e Fuga XXI (Si b Maior)

Beethoven –  Sonata op. 57 (Appassionata)

Villa-Lobos (da prole do bebê nº 2) –  O cavalinho de pau

Cláudio Santoro –  Toccata

Franz Liszt –  Soneto 104 /  Vallée D’obermann

Alexander Scriabin –  Prelúdios op. 11 nºs 1, 4, 9, 12, 14 /  Estudo op.42 nº 5 (affanato) /  Sonata op. 30 nº 4
 
 
Sobre o artista
Arthur Marden iniciou seus estudos musicais aos sete anos de idade, com Alda de Matos, na Escola de Música de Brasília. Aos doze, estudou com Daniel Tarquínio e, dois anos depois, passou a lecionar com André Tribuzy.
 
Após uma série de estudos e concertos, Arthur buscou novos aprendizados na Europa, sob a orientação do professor Edson Elias, na École Normale de Musique de Paris, na França. 
 
 
Serviço:
“Música no MuBE” – Recital pianista Arthur Marden 
Dia 29 de novembro (domingo), às 16 horas
Direção: Dulce Cupolo  
MuBE (Museu Brasileiro da Escultura) – Auditório Pedro Piva – 192 lugares
Rua Alemanha, 221, Jardim Europa
Informações: (11) 2594-2601
Abertura da bilheteria às 15 horas
Ingressos: R$ 20,00 (estudantes e terceira idade R$ 10,00)

Possui: acesso para pessoas com deficiência, serviço de manobristas e
restaurante no local.

Anúncios

Deixe um comentário

Instituto Olga Kos é premiado com a Ordem do Mérito Cultural

Hoje, dia 25 de novembro, o Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural, representado pelo seu presidente Wolf Vel Kos Trambuch, receberá das mãos do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, uma das mais importantes condecorações do Governo Federal na área Cultural, a Ordem do Mérito Cultural (OMC). A premiação acontecerá às 18 horas no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro.

Trambuch revela toda sua alegria e satisfação pela importante premiação do governo federal às ações realizadas pela instituição. “Ficamos extremamente felizes com essa premiação. O nosso principal objetivo é promover a inclusão cultural de pessoas com deficiência intelectual e a condecoração é o reconhecimento que estamos no caminho certo e que estamos desenvolvendo um trabalho relevante para toda a sociedade”, explica.

Desde que foi criada em 1995, a Ordem do Mérito Cultural já condecorou mais de 400 personalidades nacionais e estrangeiras, e sessenta instituições publicas e privadas. Entre os que já foram agraciados com a comenda, há personalidades como: Jorge Amado, Fernanda Montenegro,  Oscar Niemeyer, Pietro Maria Bardi, Roberto Marinho, Olavo Setúbal, Walter Moreira Salles, José Ermírio de Moraes, Cacá Diegues, Tizuka Yamasaki, Chico Buarque de Holanda; além das instituições: Projeto Guri, Fundação Casa Grande, Museu Casa do Pontal, Ministério da Cultura da Espanha, Museu de Arqueologia do Xingó, Intrépida Trupe, Conselho Internacional de Museus, Associação Brasileira de Imprensa, Instituto Baccarelli.

15ª edição

A Ordem do Mérito Cultural está em sua 15º edição e é entregue anualmente aos que mais se destacaram em ações em prol da cultura brasileira. Este ano o evento é dedicado ao cinquentenário de morte do compositor Heitor Villa-Lobos, reconhecido internacionalmente como um dos maiores expoentes da música erudita brasileira.

As indicações, feitas pela população, são avaliadas por uma Comissão Técnica, constituída por gestores das Secretarias do Ministério da Cultura, que emitem parecer conclusivo antes de encaminhá-lo à consideração do Conselho da Ordem do Mérito Cultural. Há uma ampla abrangência temática, de forma a contemplar áreas do saber e do fazer que tornam marcantes nossa cultura, dentro e fora do país, e que sejam representativas da imensa riqueza da diversidade cultural brasileira.

Sobre o instituto

O Instituto Olga Kos de Inclusão Cultural é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público que atua nacionalmente, desde 2007, com promoção, divulgação e participação em atividades culturais de diversas áreas, contribuindo com a educação, inclusão social, cultural, esportiva e geração de renda para pessoas com deficiência intelectual.

Dentre os projetos do Instituto Olga Kos estão o “Resgatando Cultura”, que contempla a exposição e a publicação de livros de arte sobre a obra de artistas plásticos contemporâneos, as Oficinas de Arte do programa “Pintou a Síndrome do Respeito” e os projetos de “Karatê e Taekwondo”, criados para promover a inclusão sociocultural de crianças, jovens e adultos com deficiência intelectual.

Cada projeto conta com uma equipe técnica especializada formada por artistas plásticos, educadores, pedagogos, psicólogos e pediatras, além do apoio das instituições especializadas de assistência a pessoas com deficiência intelectual parceiras.

Deixe um comentário

Fulvio Pennacchi é tema de livro biográfico e exposição em São Paulo

O artista italiano Fulvio Pennacchi escreveu seu nome como um dos mais plurais das artes brasileiras e é considerado um dos grandes nomes da arte paulista do século XX. Para celebrar os seus 100 anos de nascimento e 80 anos de sua chegada ao Brasil, o Museu a Céu Aberto está lançando o livro “Seu Tempo, Seu Percurso” e uma exposição com obras do artista, no próximo dia 23 de novembro (segunda-feira), na Galeria James Lisboa, em São Paulo.

A publicação, ricamente ilustrada com mais de 260 páginas, foi escrita pelo apreciador e estudioso das artes, Valério Pennacchi.  Além do parentesco e, principalmente, por ter convivido com o artista, o autor recupera a trajetória desse imigrante, falecido em 1992, que chegou ao Brasil no final dos anos 20, fugindo da burocracia fascista na cidade italiana de Lucca e já formado em pintura mural no “Reale Istituto d’Arte Augusto Passaglia”.

O livro de caráter monográfico aborda passagens significativas da vida e da obra de Pennacchi, como sócio de açougues com os irmãos, sócio de uma empresa de cartazes publicitários e professor no Colégio Dante Alighieri – quando conheceria Filomena Matarazzo, sua esposa, depois de dar aulas a sua irmã caçula – até surgirem as primeiras oportunidades de pintar afrescos, técnica que dominava como poucos.

Mostra, ainda, sua experiência como pintor do Grupo do Santa Helena, em São Paulo. Sua atuação como arquiteto, produtor de afrescos, ilustrador e ceramista, além de ser desenhista de móveis. Desde o início de sua carreira optou pelo figurativo, aprofundando seu trabalho nas temáticas populares do País e fundindo-as com elementos da tradicional pintura italiana.

EXPOSIÇÃO
Simultaneamente, acontece a exposição Fulvio Pennacchi com mais de 50 obras em guache, óleo, acrílico, pinturas, desenhos e esculturas com acabamento cerâmico. Ela será dividida por décadas e terá como foco a visão do artista, de cada uma daquelas fases e de seu tempo. A mostra transforma-se, assim, num roteiro de vida representado por objetos artísticos que fizeram parte do seu cotidiano muito rico.

Numa segunda etapa, a exposição deverá ser ampliada e seguir itinerante pela Itália, como forma de resgatar e dar visibilidade à sua contribuição artística e difundir o seu legado, que exprime o desejo de integrar o passado europeu e sua vida no Brasil, os prazeres pela vida simples e honesta, como o trabalho, a amizade e a família, presentes tanto no ambiente bucólico dos campos como no das cidades.

Já o livro ganhará uma versão em italiano. O lançamento da obra e a exposição são uma iniciativa do Museu a Céu Aberto, com apoio institucional do Ministério da Cultura do Brasil e patrocínio do Grupo Comolatti.

Sobre o artista
Fulvio Pennacchi nasceu em Villa Collemandina (Lucca), Itália, em 1905. Formou-se em pintura pela “Real Academia de Arte Augusto Passaglia”. De 1924-1929, o artista executou os primeiros murais a tempera na Itália e revisitou a obra de Ottone Rosai, Sironi – que já era um dos pilares da cultura italiana do “Novecento” – e Carrà. Na década de 30, recebeu duas vezes a Grande Medalha de Prata, no Salão Nacional de Belas Artes no Rio de Janeiro e no Salão de Belas Artes de São Paulo. Entre 1938-1939, iniciou a pintura de murais a óleo que rapidamente evoluíram para os murais afresco. Até 1959, dedicou-se àquele tipo de trabalho, concebeu o projeto arquitetônico e todos os afrescos que compõe a decoração interna da Igreja Nª.Sª. da Paz, fundamental para a integração harmônica entre a arquitetura e a pintura.

Outros afrescos são representados pelo conjunto do Hotel Toriba, pelos da Catedral e Palácio Episcopal de Uruguaiana, dezenas de outros espalhados pelas residências e prédios comerciais em São Paulo, Santa Rita do Passa Quatro, Ribeirão Pires, Mauá; além de suas duas residências em Santo Amaro e no Jardim Europa, das quais também executou todo o projeto arquitetônico. Para aquela última residência, Pennacchi projetou todas as portas, janelas, móveis, louças, etc. chegando mesmo a decorar, com assuntos e cenas pertinentes, os azulejos da cozinha e banheiros.

Em 1952 recebeu a Medalha de Ouro no Salão Paulista de Arte Moderna; e, na mesma década, inicia os estudos e pesquisas relativas às argilas brasileiras e à cerâmica policromada. Em 1973, sua retrospectiva contemplando 40 anos de pintura, é organizada pelo Professor Pietro Maria Bardi, no MASP, em São Paulo.

O diuturno ritmo de trabalho continuou até 1987 quando comemorou o sexagésimo aniversario de sua produção artística. Os anos subseqüentes foram marcados por uma série de enfermidades que reduziram sua produção e que posteriormente causaram sua morte, em outubro de 1992.

Serviço:
Lançamento do livro “Seu Tempo, Seu Percurso” e Exposição Fulvio Pennacchi
 Dia: 23 de novembro de 2009, das 19 às 22 horas (só para convidados)

Livro “Seu Tempo, Seu Percurso”
Autoria: Valério Pennacchi
Número de Páginas: 260
Iniciativa: Museu a Céu Aberto
Apoio Institucional do Ministério da Cultura do Brasil
Patrocínio: Grupo Comolatti

Exposição – de 24 de novembro a 10 de dezembro (aberta ao público)
Curadoria: Valério Pennacchi
De Segunda a sexta, das 10 às 19 horas. Sábados das 10 às 14 horas.
Local – Escritório de Arte Galeria James Lisboa
Rua Dr. Melo Alves, 397, Cerqueira César, São Paulo.
 
Informações: 3081- 6581 ou 3061-3155.
Entrada gratuita.

Deixe um comentário

MuBE abre as inscrições para 2ª edição do Cine Vitrine-Independente

Após realizar com sucesso o Cine Vitrine-Independente, o MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – traz a segunda edição do festival, que é um espaço alternativo para novos talentos e vem incentivando projetos inovadores na área cinematográfica. As inscrições são gratuitas e estão abertas até o dia 30 de novembro.

Poderão participar do festival profissionais da área ou amadores, que residam no estado de São Paulo e tenham produção cinematográfica em formato digital (8, 16 ou 35 mm), de curta, média ou longa metragem. O tema é livre: ficção, animação, documentário, filme mudo, musical, experimental etc.

Os interessados deverão entregar a ficha de inscrição devidamente preenchida e impressa, juntamente com dois DVDs do filme, na sede do MuBE, localizado no Jardim Europa. Uma comissão julgadora avaliará os conteúdos, além do público, que vai participar ativamente da escolha em votação no site  www.cinemubevitrine.com .

O curador do evento é Christian Petermann, crítico de cinema e colaborador do guia da Folha de S. Paulo e das revistas Rolling Stone e Isto É Gente. A coordenação geral é de Luciana Guimarães e Renata Junqueira de Azevedo Silva. O projeto, fruto de uma parceria entre o MuBE e a produtora Mega Cultural, tem idealização do produtor Marcos Muller. 

Os jurados são Carlos Reichenbach, Heitor Augusto e Simone Yunes. Carlos é um dos mais premiados e importantes diretores brasileiros em atividade, e realizou, entre outras, obras como Falsa Loura (2008), Dois Córregos (1999), Alma Corsária (1994) e Anjos do Arrabalde (1986). Simone é produtora cultural, atua como programadora do Cinesesc e já realizou diversos cursos de História da Arte. Heitor é repórter e crítico do site Cineclick, e trabalhou, entre outras, nas redações da Revista de Cinema e do site Gilberto Dimenstein.

Premiação
A cerimônia de premiação será realizada no dia 12 de dezembro, no Auditório Pedro Piva do museu. Os vencedores ganharão o Troféu Cine MuBE – criado pelo artista plástico Eduardo Werneck -, uma filmadora digital e ainda terão suas produções divulgadas nos sites Cineminha, do Portal UOL (www.cineminha.com.br), e Meu Cinema Brasileiro  (www.meucinemabrasileiro.com).
 
Serviço:
2ª edição “Cine MuBE Vitrine-Independente”
Inscrições e envio de material até 30 de novembro de 2009
Informações/regulamento no site: www.cinemubevitrine.com
Envio para: MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – Rua Alemanha, 221 – Jardim Europa – CEP: 01448-010 – São Paulo-SP.
Custo: Gratuito

Deixe um comentário

Exposição de fotos aéreas no MuBE traz a beleza da natureza italiana

DSC01567 2A bordo de um helicóptero, Kika Lerner clicou a vegetação de Roma e da ilha de Capri

Mamma Mia! Parte da vegetação italiana, das regiões de Roma e da ilha de Capri, será apresentada em ângulos bem interessantes no MuBE – Museu Brasileiro da Escultura – a partir do próximo dia 12 (Vernissage no dia 11, às 20 horas, para convidados). É que Kika Lerner, a bordo de um helicóptero, fez imagens aéreas do que mais gosta de clicar: a natureza. São florestas, campos, plantações, e muito verde. Um colorido predominantemente verde e amarelo que, segundo Lerner, remete ao Brasil.
 
Ela fez uso da câmera em todo o trajeto, que teve duração de duas horas. “Eu não vi com os olhos, só com a câmera. Foi um êxtase, e eu não parava de clicar. Fui surpreendida pela beleza dessa região”, afirma. Lerner selecionou 24 fotos, que passaram por um processo de saturação das cores especialmente para a exposição.        

Apesar de não ser profissional da área – é formada em moda e decoração – a paulistana tem boa experiência porque sempre gostou muito de fotografar e, desta vez, resolveu ir além dos álbuns pessoais para compartilhar suas imagens com o público.

A mostra terá curadoria de Marta Putz e será realizada na sala Burle Marx do museu. Ela já foi apresentada na Flip e na Casa Galeria Café, em São Paulo, e em Parati, no Rio de Janeiro.

Serviço: Exposição das fotos de Kika Lerner – Local: MuBE – Museu Brasileiro da Escultura (sala Burle Marx)  – Rua Alemanha, 221, Jardim Europa  Aberto ao público: de 12 a 22 de novembro (Vernissage dia 11, às 20 horas, para convidados) Horário: de terça a domingo, das 10 às 19 horas – Informações: (11) 2594-2601 -Entrada Franca

O MuBE possui acesso para pessoas com deficiência, restaurante e ar-condicionado

, ,

Deixe um comentário